Desporto

Desportivo despede-se do Moçambola

O Desportivo de Maputo, 25 pontos, já despromovido, despede-se esta tarde do Moçambola, diante do Costa do Sol, 39 pontos, em jogo a ter lugar no campo do 1º de Maio. 

Próximo ano vai disputar o campeonato da cidade Maputo, onde Artur Semedo, se continuar com águia no peito, voltará a confrontar-se directamente com Uzaras Mahomed, que provavelmente vai continuar no comando técnico do Mahafil.

Não se espera nenhuma festa hoje no 1º de Maio. Nem aos “alvi-negros” nem aos “canarinhos”. interessa matar-se por nada. Trata-se de um jogo despido da grandeza que ostentava no passado.

É um daqueles jogos que não faz ferver as cabeças dos treinadores na colocação em campo de onzes ideais. Hoje tudo vale. Mas podemos admitir que ao Costa do Sol ainda interessa pontuar para melhor se fixar entre as cinco melhores equipas classificadas no Moçambola 2012.

Espera-se que no fim do jogo, independentemente do resultado, Artur Semedo baptize os adeptos do Costa do Sol com o seu slogan de “ fomos a melhor equipa em campo e podíamos ter ganho por muitos golos”.

Na hora de despedida, urge perguntar: quando regressa o Desportivo ao Moçambola?

A cidade da Beira acolhe um desafio com alguma importância, envolvendo o Ferroviário local e o seu homónimo de Nampula. A equipa anfitriã pode conseguir a sua melhor classificação de sempre, bastando bater os nampulenses para assegurar a segunda posição.

Em Tete, há uma festa local entre as formações do HCB e Chingale, já sem muito a ganhar ou a perder no certame, uma vez garantida a continuidade dos dois emblemas para o campeonato do próximo ano.

O Ferroviário de Pemba despede-se frente ao Têxril de Púngoè, conjunto que, depois dum início titubeante, acabou garantindo a manutenção na penúltima jornada da prova.

Entretanto, a Liga Moçambicana de Futebol (LMF) decidiu interditar por quatro jogos o campo do Ferroviário de Nampula, na sequência das agressões ocorridas jornada passada durante o encontro Ferroviário de Nampula – Clube do Chibuto.

Quando se jogava a segunda metade do encontro, depois do golo que deu vitória ao Clube do Chibuto, os adeptos nampulenses protestaram a actuação do árbitro Arão Júnior, atirando garrafas plásticas e outros objectos para o rectângulo do jogo.

Depois de um longo período de interrupção da partida, a equipa de arbitragem e o delegado do jogo decidiram que não estavam reunidas as condições para a partida prosseguir, tendo sido atribuída vitória ao Clube do Chibuto.

Nos últimos tempos, a província de Nampula tem se destacado no vandalismo nos campos de futebol, fenómeno que quer os clubes locais, quer a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) demonstram incapacidade para controlar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo