Desporto

Definida preparação para dignificar Moçambique

Conhecidos os adversários da Selecção Nacional de Basquetebol sénior feminino no Campeonato do Mundo agendado para Turquia, de 27 de Setembro a 5 de Outubro deste ano, a turma nacional já tem definido o plano de preparação, cujo objectivo é apresentar um basquetebol de bom nível no evento planetário.

No Grupo B, com sede em Ankara, Moçambique vai competir com as selecções nacionais do Canadá, França e Turquia, respectivamente nos dias 27, 28 e 30 de Setembro.

O Dia Internacional do Trabalhador – 1 de Maio – vai assinalar o arranque oficial da “operação” Turquia, se bem que a participação nos Jogos da Lusofonia, em Janeiro passado, serviu também de ensaio para a estreia moçambicana no torneio global.

Francisco Mabjaia, presidente da Federação Moçambicana de Basquetebol, disse a jornalistas, em Maputo, que aquela entidade manteve nos últimos dias contactos com suas congéneres de diversos países, tendo em vista jogos amigáveis de preparação do torneio.

Nessas abordagens, foi possível estabelecer acordos para estágios no estrangeiro, contemplando jogos de controlo com selecções de topo mundial.

Considerando que o campeonato nacional termina na última semana de Abril, as jogadoras vão juntar-se já no dia 1 de Maio para cumprir a primeira etapa de treinos, em Maputo, com possibilidades de visitarem algumas províncias.

Tete e Zambézia já manifestaram vontade de receber a selecção nacional, podendo, nessas deslocações, as jogadoras manterem contactos com alunos e diferentes comunidades, para além, obviamente, de realizarem alguns treinos.

Está previsto um torneio internacional por ocasião do 25 de Junho – Dia da Independência Nacional, havendo perspectiva de participação de selecções fortes, a exemplo de Cuba, Portugal e Brasil.

Fora de portas, está garantido um estágio no Japão em Julho, onde terá lugar um torneio internacional com a participação da selecção da Austrália.

Depois, o conjunto moçambicano seguirá para a República Checa, em Agosto, para tomar parte num torneio internacional, com a particularidade de jogar aí com um adversário directo do “Mundial”, nomeadamente o Canadá.

Os outros participantes no torneio serão Sérvia e República Checa, esta última que vai ensaiar com Moçambique mesmo antes do referido “quadrangular”.

A última fase da preparação externa terá lugar na Espanha, onde também está agendado um torneio internacional com adversários ainda por confirmar. O regresso a Maputo está previsto para o dia 7 de Setembro.

A partir daí será a concentração final até a partida para Turquia, havendo, porém, contactos tendo em vista mais jogos de controlo antes da estreia no “Mundial” prevista para 27 de Setembro próximo.

 

TREINADOR SATISFEITO

 

Canadá, França e Turquia são selecções de longe melhor rodadas que a moçambicana, daí adivinharem-se dificuldades para a turma orientada por Nazir Salé.

São das melhores selecções do planeta, com a França na quarta, Canadá nona e Turquia 13ª posição no Ranking da Federação Internacional de Basquetebol. Moçambique é somente o 38º posicionado.

Engana-se quem julgar que o Ranking sentenceia três derrotas avassaladoras contra o conjunto moçambicano, pois, no seio do grupo, conforme o treinador Nazir Salé e a capitã Deolinda Ngulela, existe o entusiasmo de desfrutar deste “Mundial” fazendo o melhor possível.

Nazir Salé diz mesmo que pelo sorteio não havia muita escolha, daí que, o mais importante, é os moçambicanos unirem-se em torno do mesmo objectivo e concentrarem-se para a causa comum.

Mas afinal qual é esse objectivo? O treinador tem a palavra:

– Não queremos fazer do campeonato do Mundo uma grande tempestade. O nosso objectivo é participar condignamente e buscar o melhor possívelneste momento para o nosso país. Não vamos desistir de nenhum jogo, é importante irmos até ao fim. Ate ao fim do jogo não temos o verdadeiro vencedor.

Defende o técnico que quem tem medo da tempestade acaba sendo arrastado, e Moçambique está e quer jogar com os melhores, até porque se qualificou ao torneio por mérito próprio.

– Queremos nos concentrar no que é positivo para o país. Em nenhum momento vamos entrar derrotados. Vamos respeitar as grandes selecções, tendo sempre em conta a nossa preparação.

Sobre o plano de preparação do “Mundial”, Nazir Salé sublinha que “satisfaz completamente”, mas prosseguem contactos para obter mais jogos e estágios no estrangeiro. Aqui, repete o apelo à união para esta causa.

– Temos que ter disponibilidade de toda gente para não nos faltar nada. Devemos pensar positivamente pelo país, e expurgar por completo as questões fúteis. Vamos para um evento completamente diferente dos que Moçambique já participou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo