Desporto

Corrupção na FIFA não afecta Moçambique

O presidente da Federação Moçambicana de Futebol (FMF), Feizal Sidat, disse sexta-feira, 5 de Junho, em conferência de imprensa, havida na nova sede da FMF, que a corrupção na FIFA, que já levou à detenção de executivos daquele que é o maior organismo do futebol mundial, não vai afectar Moçambique, tranquilizando que todos os projectos em curso no país, sob sua égide, vão continuar, mesmo com a saída de Joseph Blatter.

“Nós acreditamos que vamos continuar a ter a FIFA como nosso parceiro, mesmo sem Blatter. Já temos garantia de colocação de relva sintética em mais campos. Vamos ter relva sintética num dos campos da Academia de Namaacha e numa das províncias do Centro ou do Norte do país. A comissão Executiva da FIFA já aprovou apoio à reabilitação do campo de futebol do Ferroviário de Mocuba, na Zambézia, que sofreu das cheias deste ano”, fez saber Feizal Sidat.

Para o presidente da FMF, Joseph Blatter apenas não terá agradado aos países desenvolvidos, que depois da sua reeleição até ameaçaram boicotar o próximo campeonato do Mundo.

No entanto, Feizal Sidat disse ser ainda cedo para Moçambique tomar alguma posição sobre o assunto corrupção na FIFA, alegadamente porque “é preciso aguardar que o clima estabilize. Blatter vai continuar a dirigir a FIFA até Dezembro de 2015 ou Março de 2016, quando se realizar o Congresso extraordinário do organismo. E temos que esperar pelo pronunciamento da CAF. Pode ser que África apresente um candidato à sucessão de Blatter ou apoiar, por exemplo, a Platini, que em frente da UEFA tem apoiado projectos de desenvolvimento de futebol em África.”

Para Feizal Sidat a corrupção que envolve elementos da FIFA também não vai afectar as próximas eleições da FMF, ainda sem data, mas que se realizam este ano, provavelmente em Dezembro.

“Não vai afectar as eleições da FMF, que se realizarão na data que o presidente da Mesa de Assembleia-geral vier a anunciar.” E mais uma vez Feizal Sidat reafirmou que não vai se recandidatar para o terceiro mandado “porque a lei de desporto não me permite. Poderei apoiar um e outro candidato.”

Porém, deixou escapar que “provavelmente possa sair deste elenco um candidato”, para depois dizer “não posso dizer sim ou não.”

Quando questionado sobre o seleccionador nacional de futebol, João Chissano, se renova ou não o contrato que termina a 31 de Julho deste ano, Feizal Sidat foi muito cuidadoso na resposta, tendo até precisado de apoio dos seus colegas de elenco que o acompanhavam.

“A equipa técnica dos Mambas ainda é da nossa confiança. Tem um contrato com a FMF que termina dia 31 de Julho. Teremos de ver se continua ou não. Pode ser que produzamos uma adenda para continuar até o fim do nosso mandato. Mês de Julho será crucial para o futebol nacional e para a equipa técnica dos Mambas”, explicou.

Mas Feizal Sidat admitiu que o futuro de João Chissano e Mano Mano poderá ser decidido pelo próximo elenco federativo que sair das eleições deste ano.

“Pode ser que o próximo elenco decida por continuidade ou não desta equipa técnica”, concluiu Feizal Sidat que foi aconselhado pelos seus subordinados a responder que o actual elenco federativo não pretende continuar. 

Manuel Meque
malembalemba@gmail.com

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo