Desporto

Abel Xavier tem salários em dia

Contrariamente aos rumores que circulam através de vários canais, o Seleccionador Nacional de Futebol, Abel Xavier, não é devido qualquer salário pela Federação Moçambicana de Futebol (FMF).

Perante os rumores tornados públicos dando conta de dívidas de três meses de salários a Abel Xavier e outros técnicos, o domingo cruzou informação com os vários dirigentes da federação e os treinadores destacados para as selecções nacionais de diferentes categorias e todos foram unânimes em afirmar que não tem qualquer problema salarial.

Aliás, os dirigentes federativos dizem mesmo que há uma tentativa de desviar a federação da sua missão de continuar a buscar soluções para os actuais problemas do futebol nacional, com destaque para as infra-estruturas e formação de novos talentos.

“A federação e os próprios técnicos estão em Maputo e disponíveis para qualquer esclarecimento, mas não são contactados deliberadamente para dar espaço a invenção de factos”, disse fonte autorizada da FMF.

Para a FMF, a prestação negativa de Moçambique no torneio da Cosafa (oitavo lugar) não tem qualquer ligação com a falta de pagamentos de salários ou prémios aos atletas como se propala.

“A federação só avançou para a contratação dos seleccionadores de futebol A, Sub-20, Sub-17 e futsal depois de reunir as condições salariais dos técnicos. A crise financeira é uma realidade e atinge o orçamento da federação, mas até ao momento não existem dívidas de salários para com os treinadores e funcionários”, observou fonte directiva da FMF.

Em Dezembro passado, a FMF celebrou com a Hidroelétrica de Cahora Bassa um contrato de patrocínio avaliado em 720 mil dólares (cerca de 35 milhões de meticais), visando a melhoria do desempenho do país nas competições internacionais.

O apoio visa essencialmente garantir a logística das equipas nacionais neste e próximo ano, com enfoque para a selecção principal, os “Mambas”, que consome a maior fatia do bolo.

É do mesmo valor que são pagos os honorários do treinador Abel Xavier e seus assistentes.

No entanto, a profusão de competições das diferentes selecções, aliada à redução do apoio governamental às federações desportivas, pressionou o orçamento da FMF, que se viu obrigada a recorrer à banca para viabilizar o seu plano de actividades, mormente as deslocações dos “Mambas” ao Gana e Ruanda, para além da preparação e participação da selecção de futsal no Campeonato Africano que qualificou Moçambique pela primeira vez ao Campeonato do Mundo.

Há ainda a assinalar a participação inglória da Selecção Sub-20 nas eliminatórias de qualificação ao CAN da categoria, tendo se deslocado a Namíbia e Lesotho.

“A federação está a cumprir com o seu plano de actividades. Como gestores procuramos soluções para os problemas que vão surgindo e tivemos de recorrer à banca. A FMF é credível e tem garantias e é nessa base que foi financiada. É um acto normal de gestão e nem sequer é novo”, argumentou nossa fonte.

Federação da Baviera

exige um milhão à FMF

A Federação de Futebol do Estado da Baviera, da Alemanha, exige à Federação Moçambicana de Futebol justificativos de 20 mil dólares (cerca de um milhão de meticais) disponibilizados para financiar obras não realizadas na Academia Mário Esteves Coluna, na Namaacha.

A FMF submeteu à federação de Baviera um projecto para a construção duma vedação na Academia Mário Esteves Coluna, na Namaacha. O projecto foi aprovado e aquele organismo da Alemanha transferiu 20 mil dólares para a conta da FMF. O dinheiro foi desviado para “outros fins” e na Namaacha nem sequer um bloco foi comprado.

Agastados, os europeus escreveram à FMF exigindo o dinheiro de volta e condicionam o reatamento da cooperação à apresentação dos justificativos do dinheiro.

De resto, uma delegação da federação de Baviera já apresentou o problema ao ministro da Juventude e Desporto, Alberto Nkutumula, que prometeu intervir para a solução do imbróglio.

Enquanto não se resolve o problema, não há cooperação. Por conta disso, foi cancelada a deslocação à Alemanha duma selecção jovem para participar num torneio internacional.

Os alemães cancelaram também a participação de treinadores moçambicanos nos cursos previstos para este ano. Já se beneficiaram de formação similar treinadores como Vasquinho, do 1° de Maio de Quelimane, e Bernardo Mabui, do Desportivo. A federação de Baviera já patrocinou igualmente estágios dos “Mambas” na Alemanha.

Indagados pelo domingo a propósito, os dirigentes da FMF confirmaram o diferendo e disseram estar a interagir com líderes do anterior elenco para ajudar a justificar o dinheiro porque à data da ocorrência a direcção da federação era outra.

Custódio Mugabe
custodio.mugabe@snoticicas.co.mz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo