Bula Bula

Dia das FADM celebrado em “campo minado”

Bula Bulacomeça por curvar-se diante das Forças Armadas. Há 50 anos, um grupo de briosos jovens deu corpo ao manifesto fazendo surgir, como num passe de mágica, as Forças Populares de Libertação de Moçambique (FPLM) transformadas, pelo tempo e pelos homens, em Forças de Defesa de Moçambique (FADM). Parabéns!

Como não podia deixar de ser, o jubileu dos militares criou enormes expectativas. Há “séculos” que não se faziam grandes paradas militares como aquelas do tempo da “outra senhora”. Bula Bulatambém ficou expectante. Falava-se de grandes coisas. Houve, inclusive, na véspera, um grande “vuku-vuku” na baía de Maputo por conta da Marinha e dos seus barcos. Foi lindo.

Bula Bulaimaginou que no Zimpeto também poderia participar e, por via da sua humilde presença, prestar uma singela homenagem aos soldados. Engano redondo. O portão do Estádio Nacional do Zimpeto não se flanqueou. Como Bula Bula, centenas de outros tantos confrades ficaram de fora. Não se sabe bem de onde mas alguém entendeu que só os convidados ou detentores de um mágico “crachat” é que poderiam entrar. Afinal a festa não era para todo o povo?

Houve muitas vozes reclamantes. Tentou-se de todas as maneiras passar por aqueles portões e… nada. Sem convite ou “crachat” nada feito. Bula Bula, desanimado, resignou-se e foi para casa, meio cabisbaixo, ver a festa via televisão. Espanto dos espantos: os militares e outros artistas estavam literalmente a actuar para o Chefe do Estado. Havia ali espaço livre para mais 20 mil pessoas… ou mais!

Então porquê impedir as pessoas de entrar? A ideia era fazer apenas aqueles desfiles, saltos de pára-quedas e acrobacias para o Presidente? Bula Bulanão se conforma. Houve claramente “sabotagem”. Podiam até ter convidado crianças das escolas, dar-lhes transporte para irem ver os militares. Até poderiam, alguns dos meninos, descobrir a beleza do uniforme e o garbo dos militares e, quem sabe, sonharem em ingressar nas FADM… quem sabe?

Mas um “Chico-esperto” qualquer entendeu que não. Que só os seus amigos podiam entrar. Perdeu-se uma chance de interessar gerações futuras pelas Forças Armadas e também se esfumou uma soberana oportunidade para uma verdadeira festa.

Há com cada uma…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo