Bula Bula

A AMETRAMO está a precisar de ajuda…

A AMETRAMO está sem mãos a medir. Pode dizer-se mesmo que é a ONG mais activa no país. Está em todas. Vai a todas. Quando não, é requisitada… e até para resolver coisas no mínimo inusitadas. A demanda é grande. Eles que devem ajudar podem estar a precisar de ajuda.

Há um bairro que se chama 25 de Junho na vila da Namaacha e que, por artes e berloques, está a braços com uma praga de ratos… quase fazendo lembrar a cidade de Quelimane há alguns anos que levou o município a “comprar” aqueles roedores como forma de estimular a sua busca e captura. Na altura, deu para aliviar um pouco a cidade dos bichos…

Por consequência, há lá muitas estórias. Fala-se até de ratos que sorriem para as pessoas. Mas a coisa que chamou particular atenção de Bula-bula é a cena de um tipo que acordou com os fundilhos das calças devastados e parte do seu saco escrotal seriamente danificado. Parece que os ratos fizeram das suas…

Acto contínuo, em vez de ir ao hospital para apanhar alguns pontos naquela zona sensível, o homem foi vivamente aconselhado a buscar pela AMETRAMO. Que aqueles ratos só podiam ser enviados de belzebú. Não era normal o fenómeno… ratos não comem aquela parte do homem.

Bem… não se sabe se a AMETRAMO realmente apanhou o rato malandro de gostos inusitados, mas Bula-bula começa a pensar que há um uso abusivo dos serviços daquela ONG. É que quando há um acidente de viação, em vez se prestar atenção às condições das vias, chama-se a AMETRAMO. Cai uma parede, chama-se a AMETRAMO. Desmaiam alguns estudantes numa qualquer escola, AMETRAMO… “maningue job” para os homens.

Se calhar é a tal coisa… se um cabrito perde-se, o pastor procura até no topo de um coqueiro… sendo que a verdade será precisamente outra, é caso para dizer não deixe o que você não pode fazer afastá-lo do que você pode.

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo