Artes & Letras

O recolher obrigatório do coração de Taruma

Álvaro Fausto Taruma é dos jovens que faz acreditar que Moçambique é realmente um ninho de poetas. Depois de tecer vibrações “Para Uma Cartografia da Noite”, obra publicada em 2016, a vez de “Matéria Para Um Grito”, chegou em 2018, e em 2021, brindou os leitores com “Animais do Ocaso”. Este ano, 2022, volta com “Recolher Obrigatório do Coração”, mil exemplares de um livro que sai sob chancela da Alcance Editores.

A obra, que chegou ao público quinta-feira última e apresentada pelo escritor Marcelo Panguana, em 71 páginas é uma versão reduzida do “Animais do Ocaso”, lançado em Portugal. Os poemas que Taruma apresenta são o culminar de um exercício feito durante a pandemia, numa sensível combinação de palavras em que o poeta mergulha no âmago das principais preocupações dos moçambicanos, mas também abarca a noite, a insónia, o medo, o amor. São dizeres e prazeres da alma narradas ao domingo, numa entrevista reflexiva. Acompanhe!Leia mais…

TEXTO DE PRETILÉRIO MATSINHE

pretilerio.matsinhe@snoticicas.co.mz

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo