Artes & LetrasDestaque

História da Frelimo retratada em bailado

“Frelimo Yethu” é o título do bailado apresentado na sexta-feira, dia 24 de Junho, no Centro Cultural Universitário (CCU) da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), para marcar culturalmente as celebrações dos 60 anos da criação do partido FRELIMO e os 47 da independência nacional, que foram assinalados sob o lema “60 Anos da FRELIMO, Consolidando a Unidade Nacional, Promovendo a Paz e o Desenvolvimento de Moçambique”.

Individualidades, membros e antigos presidentes deste partido e convidados estrangeiros de partidos políticos fizeram-se presentes no CCU para testemunhar a apresentação do bailado que juntou sessenta artistas da Companhia Nacional de Canto e Dança (CNCD) e da Companhia Artística das Forças Armadas de Moçambique (CA-FAM).

Com a duração de uma hora e 15 minutos, a obra retrata vários momentos da história do país, com realce para a invasão, dominação colonial e resistência, criação da FRELIMO, a 25 de Junho de 1962, início da Luta Armada de Libertação Nacional, a 25 de Setembro de 1964 e o II Congresso da FRELIMO que foi realizado em Matchedje, no norte da província do Niassa em 1968.

Ao longo do enredo, o bailado também retrada a morte do presidente Eduardo Mondlane, a 3 de Fevereiro de 1969, a batalha de No Górdio e a derrota do exército português, a proclamação da independência nacional e as grandes conquistas da independência.

Numa sequência artisticamente elaborada, os bailarinos encenam a consolidação da unidade nacional, a paz e o desenvolvimento, exaltam a moçambicanidade; e por último, o mesmo ideal que caracteriza os cinco dirigentes deste partido, nomeadamente Eduardo Mondlane, Samora Machel, Joaquim Chissano, Armando Guebuza e Filipe Nyusi. Leia mais…

Texto de Frederico Jamisse e Pretilério Matsinhe

Fotos de Urgel Matula

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo