Artes & LetrasDestaque

França reconhece empenho do curador Quito Tembe

  • Medalha de Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras entregue em Maputo

Quem diria que um jovem por detrás dos holofotes, cuja vida foi sendo feita em prol do brilho, aparecimento e exibição em palcos dos outros, seria um dia reconhecido, homenageado! Mas, como diz o ditado: quando há obra feita, há sempre um observador. Foi assim que a Embaixada da França, reconhecendo a entrega e dedicação do curador, técnico de luz Quito Tembe atribuiu-o a medalha de Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras, em uma cerimónia restrita, acontecida na residência do embaixador francês em Moçambique e Eswatini, David Izzo.

O embaixador francês, antes de proceder à entrega da medalha, partilhou o vasto conhecimento que tem da relação de Quito com a França e a sua dedicação ao mundo das artes. “Quito Tembe é desde 2015 a figura e alma da bienal de dança contemporânea Kinani. O seu trabalho permitiu fazer de Maputo um baluarte da dança não só na zona do Oceano Índico, mas também no continente. Ele soube tecer relações de confiança com o Instituto Francês de Paris, um dos principais parceiros do Kinani, mas também com muitos artistas da França Metropolitana e da Ilha da Reunião”, afirma David Izzo.

David acrescenta que Quito, enquanto artista, simboliza a bela amizade franco-moçambicana. “Sabemos todos da forte ligação que Quito tem, há cerca de 20 anos, com a França e com o mundo francófono. Essa relação começou no início do ano de 2000, quando entra no Franco-Moçambicano como responsável técnico. Entretanto, diz a lenda que ele não queria trabalhar lá”. Leia mais…

TEXTO DE FREDERICO JAMISSE
frederico.jamisse@snoticicas.co.mz

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo