Artes & Letras

Elsa Mangue calou-se uma voz

Era uma vez, uma mulher linda, de pele escura, típica de muitas  mulheres africanas. Simples e humilde, ela dava pelo nome de Elsa Mangue.  Não era hábito seu falar muito, porque o fazia muito bem através do canto. Ela cantava e encantava os que ouviam a sua música. Mesmo os menos atentos.

Sua vida resumiu-se na partilha de palcos com músicos nacionais e estrangeiros. Depois de iniciar sua carreira nos anos oitenta, Elsa interpretou vário cancioneiro popular, até começar a compor suas músicas.

Na esfera musical, Elsa Mangue foi a primeira artista moçambicana a ganhar um prémio internacional de música, ao ser considerada cantora revelação africana pela Rádio França Internacional (RFI), ainda na década 80. Internamente venceu o “Ngoma Moçambique” e o “Top Feminino”, as principais e mais prestigiantes competições da música moçambicana.

Temas seus que marcam os apreciadores da música moçambicana são vários. São os casos  de “Ma Original”, “Xindzekwana”, “Fim de Estrada” e “Tindjombo”.

Os restos mortais da cantora que perdeu a vida, vítima de doença, foram trasladados para o distrito de Zavala, província de Inhambane, sua terra natal.

Elsa Mangue adoeceu durante muito tempo, tendo inclusive se afastado dos palcos. Entretanto, reapareceu há alguns anos e retomou a sua carreira musical.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo