Artes & Letras

Acervo do Instituto Camões em exposição

O Centro Cultural Português tem exposto desde a última quinta-feira, 29 obras de artistas moçambicanos e portugueses. A mostra tem como título O tempo da arte e as obras fazem parte do acervo do Instituto Camões.

São revisitadas 29 obras do acervo do Centro Cultural Português que retratam o percurso da galeria do Centro Cultural enquanto espaço de exposições temporárias. O principal objectivo  do Centro é promover o intercâmbio e divulgar o trabalho de criadores portugueses e moçambicanos.

Na exposição estão representados os seguintes artistas: Albertino, A. Pedro Correia, Ciro, Eduarda Coutinho, Eugénio Lemos, Famós, Filipe Branquinho, Frederico Morim, João Vicente, Jorge Dias, José Júlio, José Pádua, José Paiva, Júlio Resende, Marinela Fazendeiro, Mucavele, Mudaulane, Naftal Langa, N’Dlozy, Oblino, Pinto, Reinata, Samate, Shikhani, Simione, Teresa de Sena, Tomo e Victor Sousa.

O acervo de arte do Centro Cultural Português remonta a 1996, ano que assinala também o início de um programa regular de exposições de artistas consagrados e de jovens criadores, em diferentes meios de expressão – do desenho à escultura, passando pela pintura e pela cerâmica e, mais recentemente, pela fotografia.

Passados 18 anos desde a sua criação, importa (re)ver um acervo que conta com mais de 160 obras e procurar entrever caminhos futuros. “Começámos por realizar, em 2013, um trabalho sistemático de inventariação das obras que foi entretanto concluído e que nos permite conhecer cada obra do acervo. É também graças a ele que estamos hoje em melhores condições para seleccionar as 29 obras de arte que dão corpo a esta exposição e que, no nosso entender, melhor representam esse trabalho incessante que a obra de arte encerra de reinvenção do tempo”, explica a direcção do Centro Cultural Português.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo