Com o sugestivo lema 40 anos da organização judiciária de Moçambique, passado, presente e futuro, a cerimónia de abertura do ano judicial começou este ano com uma homenagem aos embondeiros da justiça moçambicana, nomeadamente os profissionais que em 1978 foram enviados para as províncias a fim de auscultar diversas sensibilidades para a montagem do sistema já na era pós-colonial.

Para a procuradora geral da República, Beatriz Buchili, o lema apela para “todos fazermos uma introspecção, despidos de tabus e de consciência corporativa, para avaliarmos os desafios da justiça”. 

A chefe da magistratura do Ministério Público destacou a necessidade de melhor análise da qualidade das decisões judiciárias, a par do reforço da inspecção, da melhoria da articulação inter-institucional e 

é chegado o momento de as instituições que administram a justiça abandonarem a desconfiança mútua

da necessidade de continuação da reforma do sector da justiça.

Texto: Francisco Alar

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Leia mais...