O Governo conseguiu resgatar a confiança dos parceiros internacionais, volvidos quatro anos após a suspensão da ajuda externa dos parceiros internacionais, incluindo o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, na sequência das “dívidas ocultas”, como consequência da implementação, com rigor e disciplina, de políticas macroeconómicas e sociais.

Recorde-se que como resultado da suspensão da ajuda, o país mergulhou numa crise económica e financeira, a inflação atingiu cerca de 26 por cento ‒depois de vários anos abaixo de um dígito ‒, registou-se uma subida generalizada de preços e um dólar chegou a custar 80 Meticais.

Entretanto, estes problemas já foram ultrapassados, prova disso é que está em curso o estabelecimento de um novo programa com o FMI que garantiu, recentemente, que vai disponibilizar, depois de Outubro próximo, fundos para o país.

Além disso, verificou-se um incremento do Investimento Directo Estrangeiro (IDE) para áreas como agricultura, indústria alimentar e bebida, cimento de construção, recursos minerais, petróleo e gás.

Estes dados foram avançados semana finda pelo Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, em sede da Assembleia da República durante a sessão de Perguntas ao Governo. Na circunstância afirmou que a acção governativa do actual elenco incidiu na recuperação da crise que afectou a economia nacional.

Controlámos a inflação que já esteve a níveis de 26 por cento, em 2016. Actualmente, situa-se na casa de quatro por cento. Este processo de implementação, com rigor e disciplina, de políticas macroeconómicas, é reconhecido e admirado a nível nacional e internacional”, disse.

Acrescentou que foi possível estabilizar o Metical que conheceu a maior volatilidade de sempre em 2016.

Agostinho do Rosário destacou ainda a criação de 1,4 milhões de novos postos de trabalho nos sectores de agricultura, pescas, florestas, construção e comércio. Também houve aumento da produção e disponibilidade de alimentos, sobretudo cereais.

Ainda no que toca à produção, Do Rosário destacou que o país tem estado a registar ganhos na estabilidade política e económica, facto que permitiu aumentar a produção de cereais, hortícolas, raízes e tubérculos, o que está a contribuir para o aumento da disponibilidade de alimentos e melhoria da segurança alimentar.

O nosso desafio é prosseguir com a consolidação de ganhos até aqui alcançados, para que o nosso país registe, nos próximos anos, um crescimento acelerado e que se reflicta, cada vez mais, na melhoria das condições de vida dos moçambicanos”, concluiu.

PRIMEIRO VEÍCULO

MONTADO NO PAÍS

Ainda durante a sessão de Perguntas ao Governo, Carlos Mesquista, Ministro dos Transportes e Comunicações, fez saber que com vista a minimizar o problema de transporte que se verifica nas zonas urbanas e de expansão, será testado, em Julho deste ano, um veículo misto com uma carroçaria desenhada e construída em Moçambique para as vias de acesso difícil.

Teremos, pela primeira vez, o teste de um veículo misto, com a cabine totalmente construída por moçambicanos, com apoio do sector privado, na versão “four by four”, com capacidade para transportar 21 passageiros e carga estimada em 750 quilogramas”, disse.

Leia mais...

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 63,6 64,83
ZAR 4,56 4,65
EUR 71,57 72,96

11.04.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 281 visitante(s) ligado(s) ao Jornal

+ lidas