A “Operação tronco”, que se tornou na face mais visível do pacote de reformas que o Governo moçambicano adoptou, no sector florestal, está a resolver o problema da falta de carteiras escolares no país, com a província de Gaza a ser pioneira ao não ter nenhuma criança sentada no chão e Nampula estar prestes a atingir tal meta.

Na semana passada, o Governo, representado na sua máxima força, tendo à cabeça o Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, entregou a esta última província, a partir do distrito de Monapo, 90.000 mil carteiras, o que, nas contas do executivo, faz com que faltem apenas 55.000 para que todas as crianças da divisão administrativa mais populosa do país tenham onde se sentarem enquanto assimilam as matérias no quadro do ensino-aprendizagem.

No mês de Agosto passado, a província de Gaza já tinha sido declarada a primeira sem défice de carteiras, visto que haviam sido entregues 16.000, o que significava que dos 451.215 alunos ali matriculados nenhum deles continuaria sentado no chão nos meses seguintes.

A cerimónia revestida de tal significado teve lugar no distrito de Mandlakazi, ao que se seguiu a sua distribuição pelos distritos de Chongoene, Chicualacuala, Macia e Mapai.

Na verdade, o programa tinha sido lançado pelo estadista, em 25 de Novembro de 2017, na Escola Primária Completa Mateus Sansão Muthemba, nas margens do vale de Nhartanda, na cidade de Tete.

Texto de PEDRO NACUO, em Lichinga

Leia mais...

Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,96 61,15
ZAR 4,17 4,25
EUR 68,7 70,06

19.10.201Banco de Moçambique

Mais lidas