A arte de não ver o que todos vêem (Conclusão)

A pressa de ser primeiro a dar o ESTADO DA NAÇAO, antes do Presidente da República, cujas intenções nem devem vir para aqui chamadas, terá precipitado as duas organizações da chamada sociedade civil àquilo que normalmente é expectável: a imperfeição!

Para começar, consideraram-se representantes do movimento da Sociedade Civil em Moçambique, algo que não tiveram a humildade de esconder, já no quarto parágrafo, reduzindo as outras a uma espécie de paisagem no quadro de todos que querem exercer os seus direitos de cidadania. Assim, só as duas organizações pensam e “ reflectiram a visão da sociedade civil sobre as dinâmicas da governação em 2017”. Muita coragem e demasiada ausência de humildade!

No capítulo sobre a Paz e Estabilidade, porque era preciso correr e dizer qualquer coisa na véspera da apresentação do informe do chefe de Estado, diz-se que o ano (2017) começou com a trégua unilateral declarada pelo líder da Renamo. Na verdade, quando o ano começou, já havia sido pública, sendo que, rigorosamente, o ano anterior terminara já com a moratória, pois Afonso Dhlakama, anunciara ao país, no dia 27 de Dezembro.

Texto de Pedro Nacuo

nacuo49nacuo@gmail.com

Editorial

Assim também não!
domingo, 22 abril 2018, 00:00
Começa a ser preocupante a maneira como gente estranha ao sector da Saúde, vezes sem conta, passeia-se à vontade, nas nossas unidades sanitárias; sobretudo quando estas... Leia Mais

Versão-Impressa


Opinião

Desporto

Nacional

Breves

Sociedade

Reportagem

Cultura

Em foco

Temos 606 visitantes em linha

Banca de Jornais

Sociedade do Noticias
  • EconomiaEconomia
  • CulturaCultura
  • DomingoDomingo
  • DesafioDesafio
  • NotíciasNoticias

Conselho de Administração

Bento Baloi Presidente

Rogério Sitoe Administrador

Cezerilo Matuce Administrador