ESTRADAS: Abertas em Maputo novas vias alternativas

Novas vias rodoviárias, que servem de alternativa para o escoamento do tráfego ao nível da cidade de Maputo, acabam de ser abertas após a conclusão das obras de pavimentação.

Não menos importante
foi a abertura do troço
da Avenida Cândido
Mondlane, entre a
zona da Lixeira de Hulene
e a Avenida Cardeal Dom
Alexandre, numa extensão de
1,8 quilómetro.
Trata-se de uma via construída
de raiz e pavimentada,
que vai contribuir para descongestionar
o tráfego ao longo da
Avenida Julius Nyerere, servindo
de alternativa para aceder
aos bairros das Mahotas, Laulane,
Costa do Sol, entre outros
pontos da urbe.
Na passada quarta-feira
(..), foi aberta para a circulação
a Avenida Amaral Matos,
numa extensão de cerca de dois
quilómetros, via de acesso ao
bairro do Chamanculo, que há bastante tempo se encontrava
degradada.
A construção da Avenida
Amaral Matos, cujas obras arrancaram
em Julho de 2015,
levadas a cabo pela “Ceta”, está
integrada no projecto PROMAPUTO,
financiado pelo Banco
Mundial, tendo custado perto de
60 milhões de meticais.
Para além dos passeios e da
colocação dos sinais de trânsito,
aquela via possui sistema de escoamento
de águas pluviais, direccionado
para uma vala principal
de drenagem, construída
de raiz, numa extensão de 1,7
quilómetro.
A referida vala de drenagem
a céu aberto atravessa grande
parte do bairro Chamanculo "C"
e vai ligar com o sistema de escoamento
instalado na zona da
“Junta”, próximo do Terminal
Interprovincial de Transportes.
A construção da vala, cujo empreiteiro
foi a “Ceta”, custou
perto de 21 milhões de meticais,
cofinanciados pelo Conselho
Municipal e a cooperação
italiana.
No acto da inauguração daqueles
dois empreendimentos,
considerados de vulto no âmbito
da requalificação do bairro de
Chamanculo, a viúva do patrono
da via agradeceu a homenagem
prestada àqueles que dedicaram
grande parte da sua vida
em prol do desenvolvimento de
Maputo, tendo integrado a equipa
do então Conselho Executivo.
Elisa Matos disse que o seu
marido abdicou de tantas coisas
que lhe poderiam proporcionar
uma vida confortável para se
dedicar à resolução dos problemas
do dia-a-dia dos citadinos
de Maputo.
"Para a nossa família receber
uma homenagem tão
significativa, como uma via
com a denominação de Amaral
Matos, uma das principais
vias do seu bairro, que
ele tanto amou, é marcante
e emocionante. Amaral Matos
foi um homem de bem. É
motivo de alegria para toda a
nossa família", frisou a viúva
do patrono da nova estrada.
De referir que a via liga diversas
zonas do Chamanculo, a
partir da Avenida de Moçambique,
defronte ao Cemitério de
Lhanguene, com a Avenida Marcelino
dos Santos, a qual se estende
até a Rua do Xipamanine.
Laura Lima, representante
da “Aliança das Cidades”, parceiro
do Conselho Municipal,
disse que em 14 anos de cooperação
com Moçambique na área
urbana não existe um orgulho
maior para a sua instituição
como o projecto que está a ser
desenvolvido no Chamanculo
"C".
Acrescentou que no Chamanculo
foi aplicada uma metodologia
de melhoramento de
bairros informais semelhante
à que foi usada no Brasil, mais
concretamente na região de
Alagados, no Estado da Baía,
e no âmbito da implementação
do referido projecto foi criado o
primeiro Mestrado no Melhoramento
de Assentamentos Informais
no mundo.
O embaixador do Brasil, Rodrigo
Soares, disse esperar que
as experiências acumuladas de
cinco anos de projecto sirvam
de referência para futuras intervenções
urbanas, bem como
para o estabelecimento de novas
políticas de urbanização
em Maputo e em outras cidades
moçambicanas.
Soares acrescentou que o
seu país está pronto a considerar
a continuidade da sua
contribuição ao projecto de requalificação
que arrancou no
Chamanculo "C", bem como a
renovação da sua colaboração
com os parceiros por meio de
assistência técnica e partilha de
experiências.
Por sua vez, David Simango,
presidente do Conselho Municipal
de Maputo, disse que a pobreza
está sendo combatida e a
melhoria das condições de vida
dos munícipes de Chamanculo
"C" vão-se registando.
"Ao inaugurarmos a Avenida
Amaral Matos e a vala
de drenagem marcamos
um passo significativo no
cumprimento de um dos
nossos grandes objectivos,
nomeadamente assegurar o
desenvolvimento de infra-
-estruturas municipais. Materializam-
se, deste modo,
os compromissos assumidos
com os nossos munícipes, no
sentido de assegurar a prestação
dos serviços básicos",
afirmou o edil.
Simango destacou que estão
criadas as condições de
acessibilidade ao bairro, de
melhor provimento de serviços,
tais como a recolha de
resíduos sólidos, circulação de
transporte público, acesso de
ambulâncias e de bombeiros,
além de constituir um factor
galvanizador do desenvolvimento
socioeconómico.

Texto de Benjamim Wilson
benjamim.wilson@snoticicas.co.mz

Editorial

A (in)verdade desportiva
domingo, 15 outubro 2017, 00:00
As notícias que nos chegam do Norte do país futebolístico não abonam a nosso favor. Depois de muitas denúncias e acusações não esclarecidas com... Leia Mais

Versão-Impressa


Opinião

Desporto

Nacional

Breves

Sociedade

Reportagem

Cultura

Em foco

Temos 453 visitantes em linha

Banca de Jornais

Sociedade do Noticias
  • EconomiaEconomia
  • CulturaCultura
  • DomingoDomingo
  • DesafioDesafio
  • NotíciasNoticias

Conselho de Administração

Bento Baloi Presidente

Rogério Sitoe Administrador

Cezerilo Matuce Administrador