FORMAÇÃO POLICIAL: Profissão passou a ser de elite acadêmica

Texto de Francisco Alar

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

No passado a candidatura à profissão policial era algo reservado a gente humilde. Aliás, nos primórdios o recrutamento era compulsivo, juntamente com o serviço militar. Só depois se fazia a redistribuição dos mancebos para as várias áreas das Forças de Defesa e Segurança. Isso mudou, razão fundamental desta nossa Reportagem.

Para o próximo ano, três mil candidatos se inscreveram no Comando da Cidade de Maputo, disputando 250 vagas para a formação básica, o que, mesmo assim, representa um decréscimo em relação ao ano passado, altura em que se inscreveram cinco mil.

A redução deve-se à exclusão liminar de todos os que não reuniam o requisito altura. domingo conversou, em primeiro lugar, com pessoas próximas do processo de recrutamento e selecção em Cabo Delgado e Maputo e revelaram que o tipo de “recrutas”que lhes bate as portas é hoje bem diferente.

Apesar de o regulamento de recrutamento prever como habilitações mínimas a 10.ª classe, a maioria dos indivíduos que se candidata a membros da PRM nos departamentos de formação dos comandos provinciais tem habilitações literárias que variam entre 12.ª do ensino geral a licenciatura.

Leia mais...

Pub