Política

    Desporto

      Nacional

        Texto de Jonas Wazir

         

        Pelo menos 18 deles foram postos fora da acção, 9 detidos e dois membros da PRM perderam a vida

        Vários regimentos da Polícia da República de Moçambique continuavam ontem em Mocímboa da Praia, na província de Cabo Delgado, a perseguir o grupo de homens armados de proveniência e objectivos desconhecidos, que na passada quinta-feira assaltou a sede distrital, onde matou elementos da PRM e se apoderou de armas e munições.

        Até ao fecho desta edição era estimado em 20 o número de mortos, sendo 18 entre os insurgentes e dois membros da Polícia, além de feridos. Há também nove detidos.

        Oclima que se vive em Mocímboa da Praia continua a ser de medo, não se sabendo ao certo quando é que esta situação vai-se normalizar para que as pessoas retomem a sua vida. Até ontem quase ninguém saiu à rua, receando o pior.

        O ambiente de abandono foi mais notório a partir do princípio da tarde de quinta-feira, depois de mais um episódio de troca de tiros entre o grupo armado e as forças policiais estacionadas naquela vila autárquica.

        Os actos continuaram até cerca das 13.00 horas de sexta-feira, pois de forma esporádica ouviam-se tiros, situação que foi forçando os residentes a permanecer longe das suas casas.

        Desde quinta-feira, nenhuma viatura de transporte de passageiros e carga entrou ou saiu da vila de Mocímboa da Praia, facto que colocou a zona numa situação de isolamento. A movimentação de viaturas só viria a ser retomada na tarde de ontem quando os primeiros carros de passageiros saíram e entraram naquela urbe.

        Leia mais...