Get Adobe Flash player

O Bancode Reserva da África do Sul (SARB) apresentou, semana finda, em Maputo as novas notas do rand, a serem usadas naquele país a partir de amanhã.

Trata-se de notas com valor facial de 10, 20, 50, 100 e 200 rands que, a partir do dia 6 de Novembro irão circular em simultâneo com as que actualmente estão em uso na África do Sul e nos países vizinhos.

Falando em conferência de Imprensa, o director da Estratégia de Grupo e Comunicações do SARB, Hlengani Mathebula, disse que o lançamento destas notas resulta da prática internacional de que em cada seis a oito anos é preciso mudar ou melhorar as características de segurança das notas.

Segundo disse, esta medida surge por se acreditar que os avanços tecnológicos podem permitir as pessoas serem capazes de tentar fotocopiar as notas em circulação e assemelharem-se com as originais.

“Mas na verdade, isso não é possível, mesmo tendo a fotocopiadora com a tecnologia mais sofisticada. As características de segurança das notas não são fotocopiáveis. Se fotocopiares, o resultado não vai ser o que se deseja”, disse ele.

As novas notas apresentam como principais características o facto de todas ostentarem a figura de Nelson Mandela, o primeiro Presidente eleito democraticamente na África do Sul e que agora conta com 94 anos de idade. Igualmente, essas notas mantêm as imagens dos cinco grandes animais (Big Five), à semelhança das notas actualmente em circulação.

As novas notas possuem características de segurança de “última geração” bem como a marca de água, número da série, elementos para permitir a identificação do dinheiro por pessoas portadoras de deficiência visual, fio de segurança, elemento de tintas com cores variáveis, entre outras.

Justificando o uso da figura de Mandela nessas notas, Mathebula disse que o antigo estadista sul-africano representa os valores e as aspirações daquele país.

“Actualmente, ele é o único ícone reconhecido tanto na África do Sul, em África e no mundo inteiro. É difícil encontrar pessoas que não estejam a consumir a matéria e a história de Nelson Mandela. E pensamos que como um país, é importante reconhecer um ícone que temos. O segundo aspecto é que ele é o primeiro Presidente eleito democraticamente no país. Não teremos nenhum outro primeiro Presidente eleito democraticamente. Portanto, literalmente, ele é o pai da nação, nesse sentido”, disse ele.

Essas notas foram apresentadas em alguns países da região, onde o rand é uma moeda influente. O SARB defende a importância de divulgar a sua moeda em Moçambique devido à proximidade da população dos dois países.

“Os moçambicanos atravessam para a África do Sul e quando regressam com rands e em algumas áreas o rand é usado como moeda de troca, apesar do facto de Moçambique não ser parte da Área Monetária Comum (CMA) – um mercado que além da África do Sul, liga o Lesotho e a Suazilândia através do rand”, disse ele.

 

Opinião

Nyusi: O FAROL

Parece-me – para não afirmar que o é – razoável o argumento avançado no jornal domingo por um articulista, o qual defende que, por força do contexto que o país está a viver, há necessidade de distinguir uma linha divisória de acção entre o Presidente da República e do Partido. Isto é, um cidadão a zelar pelos interesses superiores da nação, sem carregar nos ombros a responsabilidade de dar a cara pelo programa partidário. Efectivamente, o articulista alega que o Presidente, aliviado da carga de ser também o farol do Partido, terá mais tempo para discernir os melhores caminhos de gestão para a máquina burocrática do Governo.

Uma situação que merece ser investigada

Os números são elevados. Extremamente altos. Até parecem irreais. Mas, ao que tudo indica são verdadeiros. Quem os divulga é o jornal “Notícias” do passado dia 16 (página 3), que titula Vinte e três pessoas presas por roubo de viaturas. Logo a seguir, escreve o matutino que Vinte e três indivíduos pertencentes a 12 quadrilhas de malfeitores foram detidos nas últimas três semanas pelas autoridades policiais na cidade de Maputo indiciados de envolvimento no roubo de viaturas com recurso a armas de fogo.

Uma lição para Dhlakama aprender

A prisão de António Muchanga, por mais ruído que possa ter criado pela forma como esta ocorreu, todos concordam que a mesma peca por tardia. Em Moçambique existe um unanismo quanto à necessidade de uma musculação do estado de Direito, sempre que estão em causa valores que ferem a segurança do estado.

ESTAREMOS JÁ PERANTE OS SINAIS DO FIM DOS TEMPOS?

"E o irmão entregará à morte o seu próprio irmão, e o mesmo fará o pai a seu filho. E os filhos se rebelarão contra seus pais e os matarão”. Marcos 13:12

Tabelas de Preços

Pub

Taxas de Câmbio do Dia

Países Compra Venda
Estados Unidos 30,43 30,63
Àfrica do Sul 2,91 2,93
Swazilândia 2,91 2,93
Meticais por 1000 Unidades de Moeda
Malawi 75.14 75,63
Tanzânia 18,69 18,81
Zâmbia 5,87 5,91
Zimbabwe 80,50 81,03
Japão 297,84 399,79
Meticais por Unidades de Moeda
Canada 27,83 28,01
Dinamarca 5,62 5,66
Inglaterra 50,93 51,26
Noruega 5,10 5,13
Suécia 4,68 4,71
Suíça 34,43 34,66
União Europeia 41,98 42,26

Fonte: Banco de Moçambique

Classificados

  • Necrologia1.png
  • Necrologia2.png
  • Necrologia3.png
  • Necrologia4.png

Temos 77 visitantes ligados ao Jornal Domingo.

Pub