Academia da Namaacha terá gestão privada

Redacção

- Presidente da FMF, Alberto Simango Jr., revela também a renovação de contrato de exploração do campo do 1.° de Maio

A direcção da Federação Moçambicana de Futebol (FMF) entende que gerir academias não é vocação de uma federação, por isso próximo ano vai promover um concurso público para seleccionar uma entidade afim. Em entrevista ao nosso Jornal, Alberto Simango Jr., presidente da FMF, revelou igualmente a intenção de uma reabilitação profunda do campo do 1.° de Maio, a dita “casa das selecções nacionais”.

Qual é o balanço do ano futebolístico prestes a terminar?

Dizer que 2017 foi um ano recheado de muitos acontecimentos que nos deixam satisfeitos, pois cumprimos com aquilo que havíamos planificado. Planificámos um conjunto de actividades que têm a ver com a formação, a capitalização das pessoas para nos serem úteis no futuro. Formámos treinadores de vários escalões e, pela primeira vez, até trouxemos preparadores físicos e treinadores de guarda-redes, com o apoio da FIFA.

Lançámos, também com o apoio da FIFA, o “grassroots”, um projecto de formação de treinadores/professores das crianças de idades compreendidas entre os 6 e 12 anos. É um projecto que a FIFA tem levado a cabo em várias regiões do mundo. No total formámos 90 treinadores no âmbito deste programa. No que toca às competições, realizámos todas que estavam planificadas; o Moçambola, a Divisão de Honra, com todos os solavancos, mas decorreu os campeonatos provinciais. O futebol está vivo. Realizámos com êxito os campeonatos de futebol feminino, juvenis e juniores.

Leia mais...

Pub